O nunchaku (também chamado de nunchucks ou nunchuks – no Brasil, popularmente chamado de “tchaku”) é uma arma é utilizada em várias artes coreanas, chinesas, japonesas e filipinas. Inclusive existe a arte chamada nunchaku-do, que se baseia apenas no uso desta arma. Construído com 2 peças de madeira (ou outro material resistente), conectadas com uma corrente ou corda. Usado em técnicas de autodefesa, desarmes e exibições em competições.

O nunchaku se tornou popular no Ocidente principalmente devido ao seu uso por Bruce Lee em uma cena de seu filme “Operação Dragão” de 1973 (apesar de ele ter usado seu primeiro nunchaku em “Punhos de Fúria”), no qual ele demonstrou técnicas de Eskrima (categoria de artes marciais filipinas).

O efeito destes filmes foi que muitas pessoas começaram a usar o nunchaku de novo, virando um símbolo de status ter um, mesmo sem saber como usá-lo. Com isso, começaram os problemas e a arma foi proibida em muitos países por ser considerada "uma arma branca".


A origem desta arma ainda é tema de controvérsia e debate. O ponto geográfico de origem e sua função original ainda não estão totalmente definidos, mas consideraram possíveis três dentre diversas hipóteses:

1- O nunchaku seria de origem filipina, e se espalhou pela Ásia devido ao comércio e da China foi pra Okinawa por navio;

2- Teria sido adaptada por Wu Di (imperador chinês que criou diversas armas) como uma espécie de evolução do San Jie Gun (bastão triplamente articulado) e teria chegado a Okinawa por ser uma arma bastante utilizada por marinheiros chineses pelo fato de ser uma arma portátil fácil de carregar.

3 - Teria sido usada como arma improvisada por camponeses para se defender de bandidos, pois eram proibidos de usarem armas.

Freqüentemente é explicado que o nunchaku era originalmente usado como uma ferramenta para separar o arroz da casca, todavia não existem certezas de que o fosse utilizado para este propósito. Uma ferramenta com um pequeno bastão ligado por corrente é o formato mais comum para isso, porém o formato ideal depende do grão que está sendo separado.

Outra explicação comum é de que o nunchaku foi utilizado originalmente para guiar cavalos, sendo colocado na boca do animal. Enquanto isto é aceitável logicamente, o formato e os materiais utilizados teriam sido fortemente modificados para o uso em artes marciais.

Os objetos usados atualmente em artes marciais podem ter sido modificados por conveniência.

Na versão mais aceita pelos historiadores, as restrições impostas aos camponeses de Okinawa, proibindo-os de carregar armas, fez que estes passassem a adaptar ferramentas agrícolas, criando um sistema marcial desenhado para que pudessem se defender de possíveis ataques. Todavia, atuais estudantes de artes marciais não foram capazes de encontrar reforço histórico para esta teoria, e as provas colhidas por vários historiadores ligados às artes marciais apontam para a casta guerreira Pechin (equivalente à dos samurais no Japão) como aquela que praticava e estudava estas artes, diferentemente dos Heimins, ou camponeses. É verdade que o povo de Okinawa, sob regência dos poderes estrangeiros, foi proibido de portar armas ou utilizá-las em público. Mas a luta armada que estes praticavam secretamente (e os tipos de armas com as quais praticavam) tinha fortes raízes chinesas, e exemplos de armas similares foram encontrados a China, provenientes de épocas anteriores asa adaptações de Okinawa.

O que é mais ou menos censo comum é que o nunchaku (Song Chi Kuan) tem sua origem na China e remota à época do imperador da dinastia Sung (960 – 1.116), embora hajam referências dessa arma já na dinastia Sui (581 – 618). O imperador Chao Kuang Ying criou novas armas, uma das quais se tornou a precursora do Nunchaku, como é divulgado no mundo de hoje. Houve uma imigração de chineses para a ilha Okinawa no Japão. Assim, eram encontrado freqüentemente em portos, utilizados por marinheiros. Eles se estabeleceram principalmente em Kumemura e trouxeram, junto com suas artes marciais, uma arma chamada “shuang chin kun” e “shuang tse”. Os japoneses ficaram muito interessados nesta arma e adaptaram-na do jeito deles. A madeira não ficou redonda, mas octogonal e a corrente foi trocada por uma corda, como também foi trocado o nome dela. Os nunchakus Chineses costumam ser cilíndricos enquanto os Japoneses costumam ser octagonais.


ESTILOS FORMAIS DO NUNCHAKU

As artes marciais que utilizam o nunchaku mais comumente são as de origem chinesa (Kung-Fu / Wu Shu), japonesa (Kobudo, como também alguns estilos de karatê), e também filipinas (Kali Eskrima). O Taekwondo Songahm, um estilo de arte marcial coreano, também ensina como usar um e dois nunchakus. Os estilos destas três artes são diferentes. Na arte tradicional de Okinawa os bastões foram usados primeiramente para torções e imobilização; nas Filipinas foram usados principalmente para ataques. Já o Taekowndo Songahm ensina uma combinação de ambos.


A POTÊNCIA DA ARMA 

O Nunchaku é usado da mesma maneira que um chicote. É na “ação de chicotear” que se gera a força de um Nunchaku. Preso em uma extremidade, balançando para frente e, então, rapidamente retraído para trás, a parte livre de madeira será impulsionada para seu alvo como um chicote. Quando a extremidade dessa peça de madeira atinge seu alvo, cria danos.

 

Apesar de bastante simples é um instrumento de incrível poder. Pode desenvolver uma velocidade de aproximadamente 200 Km/h; sabe-se que um nunchaku normal de 2 kg é capaz de produzir uma pancada de cerca 700 kg de impacto, o suficiente pra quebrar qualquer osso do corpo humano. O nunchaku manejado por especialistas desarmava mesmo homens a cavalo armados de espada. Os mestres dos estilos mais altivos afirmam que o movimento do nunchaku têm como objetivo confundir os oponentes. Além do que o alcance do nunchaku é freqüentemente subestimado, mesmo por aqueles experientes com seu uso. Embora um tanto difícil para controlar, a corda ou a junção da corrente do nunchaku adicionam o benefício do golpe de ângulos inesperados.  

É geralmente considerado por artistas marciais uma arma limitada, complexa e difícil de ser controlada, podendo vir a infringir auto-ferimento no usuário, tendo também um longo tempo de retomada, ou seja, perde-se muito tempo após uma batida para que se adquira controle sobre ele e velocidade angular para um novo golpe.

 

NUNCHAKU MODERNO 

O comprimento ideal de cada peça deve ser o tamanho do antebraço do usuário, considerando-se a distância do osso entre o pulso e o cotovelo. O tamanho ideal para conectar a corda/corrente pode ser ajustado para cada indivíduo deixando a corda através do pulso, com os bastões pendurados confortavelmente apontando para o chão, mas sem mais corda do que é necessário para isso. O equilíbrio do peso é extremamente importante, nunchakus baratos ou estéticos (como os que acendem no escuro) geralmente não são bem equilibrado, o que impede o artista de fazer movimentos mais avançados e rápidos em movimentos de ‘pegada-baixa’, tais como giros ao redor da mão. O peso deve ser balanceado através das pontas externas dos bastões para uma maior facilidade e controle. Há inúmeras variações do Nunchaku, compreendendo desde o de três secções (san-setsu-kon) até os menores multiseccionados.


CUIDADOS COM O NUNCHAKU

Para nunchakus de madeira é recomendável (apesar de não ser estritamente necessário) limpar o nunchaku com um pano umidecido em óleo de oliva, óleo de camélia ou qualquer outro óleo de plantas para uma pegada melhor e para evitar o desgaste da cor original (porque ele põe uma camada protetora aonde o verniz foi removido). Para evitar o desgaste das cordas de nylon, parafina pode ser colocada nas regiões onde a corda exerce maior atrito.